Blog Detalhe

Voltar

Quando você descobre que a corrida não é um esporte solitário

Correr é um esporte mais coletivo do que você imagina

    
É interessante como temos algumas crenças limitantes sobre alguns temas e mudamos completamente de opinião depois que arriscamos experimentar.
Eu tinha uma ideia que a corrida era um esporte completamente individual, diferente do futebol, vôlei e outros que as pessoas estão interagindo o tempo todo. Pensava que eu não conseguiria ficar horas praticando um esporte pensando que estava apenas colocando um passo na frente do outro de forma rápida para me deslocar, porém me intrigava como as pessoas conseguiam fazer aquilo por quilômetros e quilômetros e eu mal conseguia percorrer uma distancia de 700 metros.
 
    Quando voltei a cuidar da minha saude depois dos 35 anos, principalmente por estar bem acima do peso, resolvi fazer treinos funcionais, musculação e usava a corrida como treino complementar ou "lição de casa" para quando não ia para academia, porém 700 metros correndo era praticamente um grande exercício, pois não era nem o suficiente para dar uma volta no quarteirão do meu prédio e eu não aguentava mais do que isso, então corria o que conseguia e completava com mais 1 hora de caminhada.
 

    A cada novo dia de tentativa de correr, eu aumentava um pouquinho a distancia em relação a corrida anterior, de 700 para 800, de 800 para 1km e seguia completando o restante do treino com caminhada. Era o que dava para fazer e aos poucos ia ficando mais fácil.
 
   Notei que as pessoas que estavam correndo e caminhando, mesmo sozinhas, tinham um semblante amigável, cruzavam olhares uns com os outros com um aspecto como que dizendo: "Que legal que você está por aqui também praticando exercício" e por algum motivo que eu não sabia explicar, mesmo correndo sozinho, as vezes até com fone no meu mundinho, eu não me sentia sozinho.
 
    Tudo isso me intrigava muito, mas ao mesmo tempo a cada dia que insistia para melhorar meu condicionamento fisico, comecei a sentir a mesma sensação, me sentir bem, sentir um clima bom em ver mais pessoas fazendo o mesmo, criar uma rotina saudável e mesmo nos dias de desanimo (que todos temos por mais motivados que estejamos) era gratificante saber que se eu saísse de casa encontraria rostos "conhecidos" e no final me orgulharia de não ter desistido.
 
    Aos poucos de fato, você começa a conhecer as pessoas, conversar com elas, se encontrar em locais de treino, corridas de rua organizadas por várias empresas, assessorias esportivas, e essas pessoas vão te incentivar, algumas vezes com palavras de apoio, as vezes correndo junto contigo, as vezes fazendo um pedaço do treino junto, um chama o outro para tentar superar uma distancia, enfim, começa a ser o completo oposto da ideia inicial, pois começa a ficar difícil correr sozinho de fato, pois você está sempre interagindo, seja com pessoas ou com ambientes.
 
    Quando você tira a barreira que correr é solitário, passa a interagir com tudo e todos e fica até mais fácil evoluir. Nas minhas viagens, interajo com o lugar para conhecer, coisa que antigamente faria de carro, ônibus ou metro, você passa a ter um contato diferente e muito mais próximo.
 
   Experimente tirar essa crença limitante que correr é solitário e arrisque um mundo diferente. Você vai ver seu bairro de outra forma, vai ver pessoas que não via antes, vai interagir com outros corredores, arrisque, para mim valeu muito a pena, pode dar muito certo para você também.


Escrito por MICHEL CORREA
(Product Manager de Sao Paulo/Faixa Etária: 40-45/Técnico: Nelson Evencio)
 
Fonte: https://www.asics.com/br/pt-br/frontrunner/articles/quando-voce-descobre-que-a-corrida-nao-e-um-esporte-solitario

Compartilhe essa notícia: